Campo Centrífugo Relativo (Relative Centrifugal Field, RCF)

O Campo centrífugo relativo (Relative centrifugal field, RCF) descreve e compara a resistência dos campos gerados por diferentes tamanhos de rotores e diferentes velocidades de operação. Assim como o comprimento é medido em unidades de polegadas ou milímetros e o tempo em unidades de horas ou minutos, o campo centrífugo relativo também é medido em unidades. É expresso em múltiplos do campo gravitacional da terra, abreviado como g.

Existe uma fórmula simples para calcular a resistência de um campo centrífugo particular: onde r representa o raio, que é a distância em milímetros (mm) do centro de rotação para algum ponto dentro do rotor, e RPM é a velocidade de rotação em rotações por minuto (RPM). Às vezes as distâncias radiais são dadas em centímetros. Antes de usá-los nesta equação, você deve primeiro convertê-los em milímetros (multiplicar por 10).

Para encontrar o RCF máximo de um rotor, você precisa saber sua velocidade máxima e seu raio máximo (rmax) e a distância do centro de rotação à parte inferior da cavidade do rotor ou caçamba durante a centrifugação (veja a ilustração abaixo). Quase todos os fabricantes de centrífugas publicam essas informações para seus rotores em seus manuais de instruções.

Por exemplo, o RCF máximo do rotor JS-4.2 pode ser obtido a partir de sua velocidade máxima (4200 RPM) e seu rmax (254 mm) da seguinte maneira:

Se este mesmo rotor é executado a uma velocidade mais baixa, digamos 2000 RPM, o RCF que gera também será menor:

Uma vez que o RCF varia com o quadrado da velocidade do rotor, você pode ver que qualquer mudança na velocidade causará uma mudança muito maior em RCF.