Processos de limpeza no local (Clean in Place, CIP)

Biorreatores de produtos biológicos são usados no setor para crescimento de células para ser usado para a fabricação do medicamento. Eles criam um ambiente ótimo para o crescimento de vírus ou células, mas que também pode ser um bom lugar para o crescimento de bactérias e outros materiais nocivos. Manter o ambiente do biorreator limpo é essencial para reduzir a contaminação cruzada, assegurar a pureza do medicamento e prevenir a transposição do produto medicamentoso de lote a lote. As agências regulatórias insistem que, quando possível, os biorreatores devem ser limpos no local (CIP) após a produção. 

Devido à presença de células, vírus ou outros materiais que podem crescer em um biorreator, essa “sopa” biológica precisa ser contida tanto quanto possível. Essa cultura poderia facilmente crescer/espalhar-se ou contaminar outras linhas de produção se levada para fora do ambiente de sala limpa. Como resultado, os biorreatores são limpos onde eles estão localizados, ou seja, limpos no local (CIP). 

A limpeza no local é alcançada de duas formas diferentes, o biorreator pode ter rodas e ser transferidos para uma unidade de limpeza de parede ou uma unidade de limpeza é levada até o biorreator. O fabricante do medicamento terá desenvolvido um programa de limpeza incluindo agentes de limpeza, ácidos, uma série de enxágues com AP e/ou API e uma verificação final de COT. Após um técnico ter realizado o programa de limpeza ele realiza uma verificação de COT final para assegurar que não haja material orgânico deixado no biorreator. Se a limpeza não for realizada, pode ser que haja uma maior concentração do medicamento por ml no biorreator devido à transferência do lote anterior. A realização de CIP é o último teste para confirmar que a limpeza funcionou e que lotes futuro não serão afetados por um  anterior.

  • Sistemas de CIP pode ser automáticos ou semiautomáticos para exigir intervenção mínima do operador
  • Parâmetros como tempo, ação, concentração (de agentes de limpeza) e temperatura (TACT) determinam os resultados do processo de CIP
  • Controlar os parâmetros de TACT com cuidado, bem como manter a documentação para a validação do processo e liberação do lote do produto, garantem o sucesso consistente dos protocolos de CIP
  • Automatizar processos de CQ para sistemas de CIP (por ex., monitor o carbono orgânico total na água do último enxágue) pode ajudar a acelerar a liberação dos recipientes de volta para produção e a evitar atrasos de produção

Referências:
Good Practice Guide: Ozone Sanitization of Pharmaceutical Water Systems, ISPE. Julho de 2012.
https://ispe.org/publications/guidance-documents/ozone-sanitization-pharmaceutical-water-systems

Products for CIP Processes

toc analyzer PAT 700

ANATEL PAT700

Use the PAT700 for fast on-line testing of final rinse in validated CIP programs
QbD1200 TOC Analyzer

QbD1200

Use the QbD1200 during CIP program development, validation, and/or for final rinse grab sample analysis for validated CIP programs

Helpful Links

Related Resources

Title Description
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}
{E588CF40-730C-4137-A5DC-8DDEAB7CF7D9}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}
{A7DF4F56-8AF9-4BF1-88BE-766AB73FBC6B}
{A7DF4F56-8AF9-4BF1-88BE-766AB73FBC6B}
{A7DF4F56-8AF9-4BF1-88BE-766AB73FBC6B}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}|{E588CF40-730C-4137-A5DC-8DDEAB7CF7D9}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}|{E588CF40-730C-4137-A5DC-8DDEAB7CF7D9}
{A0D0EF0B-43F2-431C-BEB0-69F98765BDC4}
{442DF88C-CA7F-4B78-AF75-9D2B985534C0}|{E588CF40-730C-4137-A5DC-8DDEAB7CF7D9}